×
.

Notícias

Bolaño apresenta curso e participa de mesa com Barbero e Mastrini em Bogotá

Publicado em 4 de agosto de 2017

IMG-20170727-WA0008
Foto: Maurício Herrera

Convidado para ministrar curso de uma semana, entre 24 e 28 de julho, na Universidad Pedagógica de Bogotá, o presidente da ULEPICC-Brasil ministrou ainda duas conferências e participou de uma mesa de diálogo, na Universidad Javeriana, na mesma cidade, sobre as relações entre Economia Política da Comunicação e da Cultura e Estudos Culturais.

O curso na Universidad Pedagógica Nacional foi o primeiro módulo da disciplina “Economia Política, comunicação e conhecimento: a luta pelo código”, dividida com o pesquisador colombiano Ancizar Narvaez e que foi oferecido para alunos de mestrado e doutorado daquela instituição.

Na Universidad Javeriana, Bolaño deu duas palestras para alunos e professoresn sobre “Reestruturação produtiva, trabalho intelectual e industrias culturais”, além da mesa com os pesquisadores Guillermo Mastrini (UNQ e UBA-Argentina) e Jesús Martín-Barbero, ex-presidente da ALAIC e um dos expoentes dos Estudos Culturais Contemporâneos.

De acordo com o presidente da ULEPICC-Brasil, uma questão central apresentada nesses diferentes espaços, para além dos temas específicos citados, foi a das relações entre EPC e Estudos Culturais. O projeto teórico de César Bolaño, que se encontra no seu livro mais conhecido (Indústria Cultural, Informação e Capitalismo) – publicado em espanhol em 2013, pela editora espanhola Gedisa, com tradução do colombiano Ancizar Narvaes -, mas também em outros trabalhos, inclusive o livro “Campo Aberto: para a crítica da epistemologia da comunicação” (Aracaju: EDISE, 2015), adota um conceito de mediação diferente, mas perfeitamente compatível com aquele dos Estudos Culturais latino-americanos, formulado por Barbero.

Bolaño tem defendido, desde 2014, ao final da sua gestão como Presidente da ALAIC, a necessidade de um novo programa de investigação, vinculando esses dois subcampos críticos latino-americanos, para fazer frente aos desafios teóricos que o momento histórico apresenta para o conjunto do campo da Comunicação em nível mundial.